Hoje em dia já ninguém lá vai, aquilo está cheio de gente

Artigos da categoria “Cinema e TV

Home

Publicado em 13/10/2020

Na Apple TV+ comecei a ver Home, como o nome indica, sobre casas (“visionárias”). O primeiro episódio foi sobre uma casa dentro de uma estufa, na Suécia. Gostei imenso.

O segundo episódio, está mais relacionado com a agenda política e cultural americana que está a tomar conta de tudo, do que com casas. São os negros e os malvados dos brancos, e essa treta insuportável que querem importar para o nosso país, mas o que me interessou realmente foi a visão de Theaster Gates, para o seu bairro e a zona de Chicago onde mora. Um artista e uma pessoa com ideias incríveis e principalmente, capacidade para as concretizar.

É uma série que vai valer a pena seguir para os próximos episódios. Uma nota muito negativa, é a tradução que até para brasileiro é macarrónica, parece francamente tradução automática efectuada por um robô que ainda está a aprender. “Ash”, num contexto de árvores, é freixo, não cinza… quer dizer, as duas coisas, mas só depois de passar pela lareira. Tive de activar a legendagem em inglês.

Entretanto, fui vendo o restante e é uma série inspiradora como já não via há muito tempo. Escolheram pessoas que têm ideias magníficas (mesmo que não todas exactamente do meu estilo) e gostam de viver na casa que construíram. É lá que se sentem bem. Parece simples, mas basta olhar em volta para rapidamente se perceber que não é.

It’s Only Her

Publicado em 10/10/2020

Brigitte Bardot

I’ve had a fixation on Brigitte Bardot since I was a young teenager. For me, her lips, that kind of pout, her upwardly pointing anatomy, her swayback, the way she moves, the way her hair is kind of waifish… I think of her wearing a towel or a bikini, or nude. Her characters are never embellished with elegant clothes or jewelry — it’s only her own wild elegance or sensuality.

-Jim Jarmusch, The Jarmusch Way

Cinema em Setembro

Publicado em 30/09/2020

Dogman (2018) (48)

Realizado por Matteo Garrone.
3 estrelas e meia

The Goldfinch (2019) (49)

Realizado por John Crowley.
3 estrelas e meia

Amarcord (1973) (50)

Realizado por Federico Fellini.
Quatro estrelas e meia

Greyhound (2020) (51)

O primeiro filme que vi na Apple TV+… que fraco. Leva duas estrelas por caridade. Assim a Apple como produtora de originais não faz qualquer falta. Realizado por Aaron Schneider.
2 estrelas

Maya (2018) (52)

Não tem um filme mau a Mia Hansen-Løve.
Quatro estrelas e meia

Beoning (2018) (53)

Os coreanos também conseguem não ter um filme mau… pelo menos dos que chegam até mim. Em português “Em Chamas”. Realizado por Chang-dong Lee.
Quatro estrelas e meia

Taxi (2015) (54)

Fico sempre admirado com a qualidade do cinema iraniano e como com uma escassez de meios tão grande se fazem filmes tão bons. Basta talento, uma boa ideia e principalmente ter que dizer. Realizado por Jafar Panahi.
4 estrelas

The Social Dilemma (2020) (55)

Documentário sobre a vida sempre em linha. A amoralidade dos algoritmos que moldam agora a vida de milhões de pessoas e mais uma vez, a vigilância permanente — hoje é para vender coisas, amanhã está bom de ver para o que será. Realizado por Jeff Orlowski.
4 estrelas

Gimme Danger (2016) (56)

Revi este documentário sobre os Stooges sem saber, porque só mesmo quase no fim me lembrei que já o tinha visto. “Muito obrigado à pessoa que me atirou esta garrafa de vidro à cabeça. Quase me mataste mas voltaste a falhar, volta a tentar para a semana.” Realizado por Jim Jarmusch.
4 estrelas

Yek khanévadéh-e mohtaram (2012) (57)

Em português “Uma Família Respeitável”. Realizado por Massoud Bakhshi.
4 estrelas

Asphalte (2015) (58)

Que filme fraco e sem qualquer piada (para comédia, é bizarro), leva duas estrelas por caridade. Em português “Histórias de Bairro”. Realizado por Samuel Benchetrit.
2 estrelas

Jagten (2012) (59)

Um filme extremamente duro. Em Português “A Caça”. Realizado por Thomas Vinterberg.
Quatro estrelas e meia

Da-reun na-ra-e-seo (2012) (60)

Elogiei o cinema coreano e não demorou a aparecer este, que não é nada de especial… Mas é com Isabelle Huppert, nunca se sabe o que sai dos filmes dela, o melhor e o pior, certamente. Em Português “Noutro País”. Realizado por Sang-soo Hong.
3 estrelas

Geu-hu (2017) (61)

Em português “O Dia Seguinte”. Realizado por Sang-soo Hong.
4 estrelas

TV em Agosto

Publicado em 31/08/2020

The Mandalorian (primeira temporada, 2019)

A Disney tem o inegável mérito de ter mostrado à saciedade e à sociedade, a completa falta de interesse que tem todo este universo Star Wars, incluindo os seis primeiros filmes. Tiveram a sua época e já acabou há muito. Mas a força da nostalgia é poderosa. Criado por Jon Favreau.
3 estrelas e meia

L'Amica Geniale

Lenú e Lila a ler “Mulherzinhas” de Louisa May Alcott.

L’Amica Geniale (primeira temporada, 2019)

Estou a gostar bastante desta série e cada vez mais conforme vai avançando. Alguns personagens não são exactamente o que imaginei ao ler os livros, como por exemplo o pai da Lenú, mas o ambiente, diria que sim. A minha experiência ao ler qualquer livro primeiro é que a versão cinematográfica ou de TV é sempre pior, aqui nem digo isso (muito pelo contrário), mas queixo-me de na verdade já saber a história, designadamente as nuances daquelas personalidade todas que a tornam única. Principalmente de Lila, a amiga genial. Em português “A Amiga Genial”. Criado por Saverio Costanzo.
Quatro estrelas e meia