Hoje em dia já ninguém lá vai, aquilo está cheio de gente

Artigos da categoria “Eu

Noutro

Publicado em 01/11/2020

Mal acabei de ler “A Vida Mentirosa dos Adultos” de Elena Ferrante, comecei a ler “Herzog” de Saul Below, o que já devia a mim próprio há uns anos. No fim da segunda página já estava esmagado pela diferença de escrita dos dois. E, lamento imenso, Saul Below está verdadeiramente noutro patamar.
E, se recuar para o livro anterior, o normal “Pessoas Normais” de Sally Rooney, posso simplesmente dizer que Rooney está para Ferrante, como Ferrante está para Below. Se estas comparações não fazem qualquer sentido, não faz mal, não percebo nada de literatura, mas sei do que gosto.

Lido Algures na Internet

Publicado em 17/09/2020

Pasquim vem do italiano “Pasquino”, nome de um sapateiro romano do século XV: à porta da oficina, foi encontrada uma estátua helénica do século III a.C., e criou-se o costume de nela colocar bilhetes satíricos, nem sempre primando pela elevação da linguagem.

Tough Way

Publicado em 09/09/2020

It’s a club that puts on shows, and you never really know what the show is going to be. In this specific case they brought out a young man who was in a leotard body suit, who, to me, I would diagnose him as a thalidomide baby. And he was blind as well, but he sang like Pavarotti. And while he was singing — I forget the song, it was like a ‘God Bless America’-type song — there was a woman who was in a thong bikini, who was large, performing sex acts on him while he was singing. Interesting, because I was with Mr. Trump at the time. It was not really a place I expected to be with him at. He looked over to me when he was finished, and I’ll never forget this, he looked me right in the face. He goes, ‘That’s a tough way to make a living.’

—Michael Cohen (Nota de rodapé 1823, descrevendo o clube The Act, no relatório do comité do senado sobre a interferência russa nas eleições dos EUA.)