Hoje em dia já ninguém lá vai, aquilo está cheio de gente

Artigos etiquetados “joseph l. mankiewicz

Cinema em Março

Publicado em 31/03/2021

Victoria (2015) (14)

A propósito de ter uma banda sonora de Nils Frahm, confirmando o meu actual maior interesse em música do que em cinema, resolvi ver este filme… e que fraco que é. A única coisa relevante, para quem ainda não sabe, é que a solidão deita por terra qualquer critério mínimo. De resto, nunca fui grande apreciador da câmara na mão ao estilo Dogma 95 e que me interessa se é só um take? Interessa-me é se o filme é bom. E não é. Realizado por Sebastian Schipper.
☆ ☆

Minari (2020) (15)

Uma torrente de sentimentos, sem qualquer sentimentalismo. Muito bom. E se alguém ficar curioso sobre o abate e incineração dos pintos macho na indústria dos ovos e da carne de aves, é uma realidade muito pouco falada (The Atlantic). Realizado por Lee Isaac Chung.
☆ ☆ ☆ ☆ ½

My Salinger Year (2020) (16)

J.D. Salinger é apenas o pano de fundo para este filme leve, mas bem feito. Deixou-me com vontade de reler “Uma Agulha no Palheiro”. Realizado por Philippe Falardeau.
☆ ☆ ☆ ☆

The White Tiger (2021) (17)

Realizado por Ramin Bahrani.
☆ ☆ ☆ ☆

Sweet Smell of Success (1957) (18)

Realizado por Alexander Mackendrick.
☆ ☆ ☆ ☆

The Asphalt Jungle (1950) (19)

Realizado por John Huston.
☆ ☆ ☆ ☆ ½

5 Fingers (1952) (20)

Na minha opinião é um filme de espionagem, não film noir, mas é óptimo. Realizado por Joseph L. Mankiewicz.
☆ ☆ ☆ ☆ ½

Detour (1952) (21)

Realizado por Edgar G. Ulmer.
☆ ☆ ☆ ☆ ½

Short Eyes (1977) (22)

Com banda sonora de Curtis Mayfield. Realizado por Robert M. Young.
☆ ☆ ☆ ☆

Cat People (1942) (23)

Realizado por Jacques Tourneur.
☆ ☆ ☆

Cinema em Novembro

Publicado em 30/11/2020

Portrait de la Jeune Fille en Feu
Portrait de la Jeune Fille en Feu

Portrait de la Jeune Fille en Feu.

Sleuth (1972) (80)

Realizado por Joseph L. Mankiewicz.
☆ ☆ ☆ ½

Portrait de la jeune fille en feu (2019) (81)

Não consigo deixar de pensar que nestes filmes de época há sempre uma agenda muito contemporânea e não gosto. Mas é um belíssimo filme, meticulosamente composto, cinema francês do bom. Realizado por Céline Sciamma.
☆ ☆ ☆ ☆ ½