Hoje em dia já ninguém lá vai, aquilo está cheio de gente

Artigos da categoria “Livros

Acreditasse

Publicado em 12/11/2022

Foi Jung quem formulou o conceito de persona: a máscara que “fingia individualidade”. A adopção de uma máscara assim, segundo Jung, permitia que cada um de nós — e aqueles à nossa volta — acreditasse que éramos autênticos.

—Jordan Peterson, Mapas do Sentido, Lua de Papel 2019 (1999)

Capote

Publicado em 11/11/2022

Estava a uar um capote de lã, de 1890 ou algo assim, que tinha comprado em Portugal, e umas botas de couro de cano alto. O psicólogo que me acompanhava desapareceu inesperadamente, deixando-me sozinho. Não tardei a ver-me rodeado por homens desconhecidos, alguns dos quais extremamente grandes e com ar de poucos amigos.

—Jordan Peterson, Mapas do Sentido, Lua de Papel 2019 (1999)

Nem Sequer

Publicado em 09/11/2022

Em traços gerais, Orwell dizia que, na verdade, os socialistas nem sequer gostavam dos pobres. Apenas detestavam os ricos. Entendi de imediato a sua ideia. A ideologia socialista servia para camuflar ressentimento e ódio, instilados pelo fracasso. Muitos dos activistas partidários que eu tinha encontrado usavam os ideais de justiça social para racionalizar o seu desejo de vingança pessoal.

—Jordan Peterson, Mapas do Sentido, Lua de Papel 2019 (1999)

Nada de Novo

Publicado em 11/10/2022

— … o terrível sentimento de culpa que aquela pobre mulher sofre!
— Uma galdéria — exclamou ela —, mulheres assim já existiam antes de Freud e de toda a sua conversa fiada sobre complexos e compulsões. Não é nada de novo; uma mulher mimada, uma mulher vaidosa, uma mulher egoísta que usa um homem e faz dele um palerma; (…)

—Susan Taubes, Divórcio, Cavalo de Ferro, 2022 (1969)

Conta

Publicado em 09/10/2022

O que era simples tinha de ser velado; querendo ser mais do que seu amante, ele desempenhava esse papel com um toque de teatralidade afectuosa. O afecto era verdadeiro e ela tinha de proteger-se dele, de evadir-se num egoísmo falso, fingindo por ambos que deixara a pessoa real para trás antes até de ser apanhado o avião para Paris. Todo esse tempo, os olhos de um e de outro não deixavam de dizer: Estamos apenas a fazer de conta que estamos a fazer de conta. A verdade misturada com a mentira, não podia ser de outra maneira, ambos sabiam, sem saber em que pé estavam; (…)

—Susan Taubes, Divórcio, Cavalo de Ferro, 2022 (1969)